• muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com
  • muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com

Reitor empossa diretores-gerais dos campi Inconfidentes, Machado, Muzambinho, Passos, Poços de Caldas e Pouso Alegre

Redação27 de setembro de 201811min0
O reitor Marcelo Bregagnoli se declarou orgulhoso pelo alinhamento entre os discursos proferidos pelos diretores.

A noite de segunda-feira, 24 de setembro, marcou a recondução do professor Marcelo Bregagnoli ao cargo de reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS). Na ocasião, tomaram posse os diretores-gerais Carlos Henrique Rodrigues Reinato (Campus Machado), João Paulo de Toledo Gomes (Campus Passos), Thiago Caproni (Campus Poços de Caldas), Luiz Flávio Reis Fernandes (Campus Inconfidentes), Renato Aparecido de Souza (Campus Muzambinho) e diretora-geral Mariana Felicetti (Campus Pouso Alegre).

Autoridades civis, militares e políticos da região, como prefeitos, deputados e vereadores, além da comunidade acadêmica do IFSULDEMINAS compareceram ao Plenário da Câmara de Vereadores. Amigos e familiares dos novos gestores também prestigiaram a solenidade, que teve discursos emocionados, com reflexões sobre o papel da educação, perspectivas para o futuro e compromissos assumidos nesta nova gestão que se inicia.

Oficialmente, o professor Bregagnoli foi empossado pelo ministro Educação, Rossieli Soares da Silva, no dia 30 de agosto, em Brasília. Reitor e diretores-gerais são eleitos a cada quatro anos pela comunidade acadêmica, ou seja, seus mandatos se estenderão até 2022. Todo o processo é regulamentado por resolução aprovada pelo Conselho Superior da Instituição e deflagrado por edital. A votação foi realizada entre os dias 26 e 28 de março nas unidades e polos de educação a distância.

O coral EnCanto, do Campus Inconfidentes, regido pelo maestro Roberto Mariano dos Santos, emocionou a todos com sua apresentação, ao entoar duas canções e o Hino Nacional Brasileiro. Como forma de reconhecimento ao trabalho dos ex-diretores, foram entregues homenagens aos presentes, os professores Marcelo Carvalho Botazzinni (Campus Pouso Alegre) e Minguel Ângel Toledo del Pino (Campus Inconfidentes). A homenagem ao professor Luíz Carlos Machado Rodrigues (Campus Muzambinho), que não pôde comparecer ao evento, será entregue posteriormente.

Além do reitor e dos diretores empossados, também fizeram parte da mesa de honra, o vice-reitor da Universidade Federal de Alfenas (Unifal), professor Alessandro Antônio Costa Pereira, e os diretores-gerais pro tempore João Olympio de Araújo Neto (Campus Avançado Carmo de Minas) e Francisco Vitor de Paula (Campus Avançado Três Corações).

Discursos
Os diretores-gerais eleitos foram convidados à assinatura do termo oficial de posse. Discursos emocionados revelaram um pouco do perfil de cada dirigente e das perspectivas e metas deste novo ciclo de gestão. Luíz Flávio Reis Fernandes, novo diretor do Campus Inconfidentes, foi o primeiro empossado a discursar. Ele lembrou a importância da trajetória dos 30 diretores que o antecederam. “As palavras proferidas pelos ex-diretores em seus discursos foram sempre pautadas pelas diretrizes educacionais. Em alguns momentos, entendidas como ondas de prosperidade e paz, em outras ocasiões, proferidas na ‘maré brava’. Mesmo nestes momentos, o ensino público federal seguiu adiante, não apenas pela habilidade de seus gestores, mas porque nós, sujeitos apaixonados pela arte de ensinar, permanecemos firmes nos ideais de Nilo Peçanha e dos que o seguiram”, disse.

Carlos Henrique Rodrigues Reinato foi reeleito como diretor-geral do Campus Machado. Destacou, em seu discurso, a trajetória que o levou a ocupar o cargo de diretor-geral e fez um balanço do novo desafio assumido. “Os tempos mudaram, tivemos vários desafios nesses quatro anos de gestão, trabalhamos muito. Com muito orgulho, me despeço desse primeiro mandato, enfrentamos tempos difíceis e estamos calejados, aprendemos com as dificuldades, buscamos recursos, realizamos projetos nas mais diversas áreas, contamos com apoio de diversos parceiros, participamos de programas governamentais, o que nos possibilitou dobrar o nosso orçamento por meio da captação de recursos extraorçamentários. Tempo que se foi, é hora de nos equilibrarmos no presente e visualizarmos o futuro”.

Assumindo a direção-geral do Campus Muzambinho, o professor Renato Aparecido de Souza falou sobre seu compromisso como educador. Emocionado, ressaltou sua relação com a história do campus e falou sobre os desafios. “Nos momentos em que formos colocados à prova, não exitaremos em proteger os interesses institucionais e cumprir nosso dever com responsabilidade para entregar adiante, com segurança e sensação de missão cumprida, o legado que recebemos agora. O Campus Muzambinho se coloca à inteira disposição, professor Marcelo, para permitir a tão desejada integração do IFSULDEMINAS em prol da transformação social da nossa região”.

João Paulo de Toledo Gomes, eleito como diretor do Campus Passos, lembrou de quando assumiu o cargo como diretor pro tempore. “Em 2014, o campus possuía apenas 117 alunos em quatro cursos técnicos. Atualmente, atendemos mais de 1.500 alunos em 19 cursos, dentre técnicos, superiores e pós-graduação, esse crescimento é fruto do grande trabalho realizado pelos mais de 100 servidores do Campus Passos, quase 30 apoiadores terceirizados e estagiários. Vou trabalhar com afinco e honrar a responsabilidade assumida perante à comunidade acadêmica e todos que me apoiaram”.

Também na condição de diretor pro tempore, agora eleito, Thiago Caproni, do Campus Poços de Caldas, ressaltou o papel do gestor de uma instituição como o IFSULDEMINAS. “Estar a frente de uma instituição como a nossa é uma grande oportunidade, de transformar as vidas dos nossos alunos e alunas, de buscar o equilíbrio entre a questão financeira, a qualidade e formação integral dos nossos discentes. Não podemos jamais permitir que as classes menos favorecidas deixem de ter acesso a uma educação transformadora, em todos os aspectos, e que ela permita a todos, ricos e pobres, a ascendência intelectual, pessoal, profissional e social. Lutemos, sempre, para que a educação e nossas instituições sejam tratadas como política de estado e não fiquem à mercê de caprichos partidários”.

Mariana Felicetti assumiu a gestão do Campus Pouso Alegre. Ela é a primeira mulher eleita ao cargo de diretora-geral de uma das unidades. “Gostaria de dizer que levo muito a sério a confiança que depositaram em mim. Vou trabalhar duro, todos os dias, para viver de acordo com a responsabilidade assumida perante a comunidade escolar. Acredito plenamente no avanço da gestão iniciada pelo professor Marcelo e sua equipe, da qual fiz parte, e que foram o sustentáculo dessa nova fase”. A nova diretora mencionou que o IFSULDEMINAS é um local de debate, de ação transformadora, de inclusão e de articulação entre ensino, pesquisa e extensão. “Não existe desenvolvimento regional sem o desenvolvimento das pessoas. O futuro dos institutos federais está aberto, dependendo da nossa ousadia, da nossa competência, do compromisso político com um país soberano democrático e justo socialmente. Que não nos esqueçamos disso, principalmente, diante do que vamos enfrentar no próximo mês”, finalizou.

O reitor Marcelo Bregagnoli fechou os trabalhos da noite, se declarando orgulhoso pelo alinhamento entre os discursos proferidos pelos diretores. Ele também agradeceu à comunidade acadêmica pela confiança depositada em sua equipe. Fez um balanço do trabalho realizado até aqui. Falou sobre a importância de o professor ser um espelho para o aluno. Parabenizou a todos os diretores pelo compromisso demonstrado e ressaltou a união da instituição em prol de objetivos comuns, enfatizando o grande número de ações do IFSULDEMINAS elogiadas pelo secretário da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, Romero Portela, na Reunião de Dirigentes da Rede. Ao se dirigir a sua equipe, fez diversas recomendações. “Prezem pela legalidade, imparcialidade, moralidade e ética. O mundo é para ser conquistado. Os grupos e as instituições conquistam espaço e, muitas vezes, perguntamos: por que tal grupo se destacou? Porque souberam buscar seu espaço. Busquemos o nosso espaço para continuarmos a ser referência na Rede Federal”. Bregagnoli propôs, como desafio aos dirigentes, a realização de diversas ações integradas, a ampliação do auxílio estudantil, valorização de intercâmbio acadêmico, melhoria dos indicadores de qualidade acadêmica, parcerias com os arranjos produtivos locais, foco em sustentabilidade, comunicação interna, organização e mapeamento de processos, otimização de recursos e prestação de contas à socidedade. Para finalizar, Bregagnoli ressaltou a questão da humanização e tratamento isonômico entre as unidades, classes e pessoas. “Neste contexto de trabalho em conjunto, ninguém pode ser maior que ninguém, todos devem ser iguais, se quisermos sobreviver”.

Texto e Fotos: Ascom/ IFSULDEMINAS – Reitoria

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *