• Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Como lidar com vícios tecnológicos nas empresas

Gerson Dias29 de janeiro de 20193min0
dependencia-tecnologica-e-suas-consequencias
Internet, redes sociais e whatsapp consomem o tempo e a produtividade das equipes. Segundo Carla Tieppo é possível transformar esses vícios em virtudes

Estamos na era dos vícios tecnológicos, que transformam nosso cotidiano há 20 anos e já são até considerados vícios inofensivos, porém, eles estão ocupando cada vez mais a rotina dos indivíduos, subtraindo horas da rotina e atenção focada no trabalho.

Há também os vícios tidos como perniciosos (comida, tabaco, álcool e drogas), mostrando que o cérebro seleciona comportamentos que, de forma ou outra, proporcionam prazer e, por isso, tendemos a repeti-los.

Assim, nossos vícios passam a ser a expressão de nossos comportamentos, como se tivéssemos nascido com eles e tivéssemos que mantê-los para sempre como marcas de nossa personalidade.

“A neurociência nos mostra que a plasticidade cerebral permite mudanças importantes, bem profundas, em nossa forma de ser e agir, abrindo espaço para a substituição de comportamentos viciosos por comportamentos virtuosos”, afirma a neurocientista e palestrante Carla Tieppo.

Segundo ela, é possível fazer uma análise do peso dos ciclos viciosos e dos ciclos virtuosos do cotidiano das pessoas, em especial na rotina de trabalho. e ajudá-las a desenvolverem mais controle sobre a dinâmica vícios e virtudes.

Entendemos como comportamentos virtuosos as atitudes que tomamos objetivando ganhos futuros e não somente ganhos imediatos.

As pessoas podem e devem escolher ciclos virtuosos em oposição a ciclos viciosos para obter resultados como largar o cigarro, emagrecer, cumprir prazos ou até mesmo para serem mais empáticas.

“Em nosso cérebro, os mecanismos que favorecem a escolha pelos vícios precisam de uma oposição consciente muito forte para que sejam substituídos por comportamentos virtuosos, mas isso é totalmente possível”, garante Tieppo.

A neurocientista acrescenta ainda que a melhor forma de lidar com esta dinâmica entre vícios e virtudes é promover o autoconhecimento e aumentar nossa resistência a frustrações, porque só os comportamentos virtuosos permitem obter virtudes. Este processo pode ser bem-sucedido através do conhecimento, da determinação e da adoção de mecanismos que promovem a construção de hábitos saudáveis.

por Leticia Maciel

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixar um Comentário

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *