• Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Professores do estado fazem assembleia para votar greve

Redação6 de novembro de 20193min1
20191106114708909684e
Professores da rede estadual protestaram na Cidade Administrativa e os profissionais da rede municipal na Praça da Estação, o que pode definir decretação de greve.

Profissionais da educação de Minas Gerais realizam ao longo desta quarta-feira (6) mobilizações em todo o estado. Uma paralisação total da rede de ensino foi marcada para a data, além da participação em uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). A categoria tem se posicionado contra o fechamento de turnos e de escolas e reivindica o pagamento integral do 13º e do piso salarial. Professores da rede municipal também se mobilizaram na Praça da Estação.

Na Região Norte de Belo Horizonte a grande maioria dos professores da Escola Estadual Carlos Drummond de Andrade aderiram ao movimento. As aulas foram suspensas nos três turnos e cerca de 50 turmas ficaram sem aulas. Apenas dois professores não aderiram à paralisação.

Aluna da escola, Ana Rungue, de 17 anos, demonstrou apoio aos professores: “A paralisação de hoje é uma forma de protestar contra os cortes e reivindicar os direitos dos professores. O governo não tem dado apoio e ainda quer tirar o pouco que a gente tem. Acho que é uma forma de buscar a valorização desses profissionais. Então eu super apoio, e espero que traga resultados.” afirma.

A SEE/MG (Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais) informou  que está acompanhando a adesão das escolas estaduais à paralisação convocada pelo sindicato  e que o balanço com os números da paralisação será feito no fim da tarde desta quarta-feira.

Logo após o término da audiência na Assembleia, a categoria seguiria para a Cidade Administrativa, onde está prevista uma vigília. Mais tarde, a direção estadual do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação (Sind-UTE/MG) fará uma reunião de negociação com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag).

Fonte: Estado de Minas

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Um Comentário

  • NILSON BORGES DO ROSARIO

    7 de novembro de 2019 at 9:02

    Com todo respeito à imprescindível e honrosa profissão dos professores, pergunto porquê não se rebelaram de fato quando o governo era do PT?
    Acho que a situação que vivem hoje é reflexo da desastrosa passagem do Pimentel pelo governo. Entendo que o prejuízo causado ainda vai levar alguns anos para ser reparado. O sindicato é apenas um braço politico do PT, infelizmente.

    Responder

Deixar um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *