• Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Coronavírus – 80% dos casos são assintomáticos…

Redação25 de março de 20205min0
zika
Os profissionais da saúde precisam de materiais de proteção, são a linha de frente no combate ao coronavírus. Se contaminados podem transmitir o vírus, de forma involuntária, nos atendimentos. E o número de casos de contaminação neste profissionais vem aumentando.

Os cuidados com a Proteção para os Profissionais que estão na linha de frente é essencial: Médicos, Enfermeiros, Profissionais da Saúde e Voluntários devem ser redobradas.

A chance do vírus já estar em cidades do interior é grande, 80% dos casos são assintomáticos, nas últimas semanas o fluxo de pessoas, de áreas com número elevado de casos contaminados, para o interior e do interior para capitais, foi grande. Um ponto importante é preparar o atendimento, hospitalar e ambulatorial, das pessoas que se apresentarem com os sintomas.

Abaixo informações sobre: “Pessoas assintomáticas podem transmitir o coronavírus?”

Pessoas sem sintomas para o novo coronavírus podem transmitir a doença – mas por terem a carga viral menor, potencial de contágio é baixo.
Em algumas pessoas, o vírus Sars-Cov-2 não provoca sintomas. (Ilustração acima: André Moscatelli/SAÚDE é Vital)

O que saber sobre os casos de coronavírus sem sintomas
O novo coronavírus pode permanecer incubado por até 14 dias, e ainda não se sabe a partir de quando ele passa a ser detectável no sangue.

É comum o novo coronavírus não causar sintomas?
Só estudos populacionais dirão com certeza. Mas infecções assintomáticas são comuns na medicina. No caso da dengue, para ilustrar, estudos apontam que uma porcentagem alta de moradores de algumas regiões do Brasil possui anticorpos contra o vírus, o que comprova que houve contato com ele. Porém poucos lembram de terem ficado doentes.

É possível que o mesmo ocorra com a Covid-19, nome da doença causada pelo novo coronavírus. As crianças e os adolescentes, por exemplo, parecem contrair o agente infeccioso e transmiti-lo, porém dificilmente ficam derrubados a ponto de serem internados.

Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?
Sim, mas provavelmente menos. “De uma maneira geral, o nível de excreção do vírus está relacionado com a sintomatologia da doença. Ou seja, quanto mais doente a pessoa está, mais carga viral carrega e, portanto, mais vírus libera em circulação”, raciocina Kfouri.

Fora que, sem tossir ou sem espirrar, já se eliminam duas vias de transmissão importantes do Sars-CoV-2, que é propagado por meio de gotículas das secreções respiratórias.

De novo, pesquisas futuras devem esclarecer esse ponto. “Por enquanto, temos apenas relatos esporádicos indicando contágio por meio dos casos assintomáticos”, conta Nancy Belley, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

E se eu tive contato com um caso confirmado?
Nessa situação, o que ocorre é a observação. “A pessoa deve ser orientada a prestar atenção em sinais parecidos com o de resfriado ou gripe”, orienta Elisa Aires, infectologista da DaVita Serviços Médicos.

Se os sintomas surgirem e forem leves, a recomendação é deixar de circular por aí e conversar com um médico, eventualmente indo a um posto de saúde. Mas só visite o hospital se estiver no grupo de risco (acima dos 40 anos de idade ou com doenças crônicas). Por outro lado, febre alta, mal-estar intenso ou dificuldade para respirar exigem uma investigação pormenorizada, eventualmente com internação.

Os testes e o acompanhamento próximo de quem teve contato com os infectados são importantes para frear a transmissão local e diminuir a velocidade com a qual ele se espalha.

Agora, conforme o número de casos for aumentando e se espalhando pelo país entre os próprios brasileiros, a conduta pode mudar. Em um contexto de ampla disseminação, o foco poderia se concentrar no atendimento dos acometidos com quadros mais severos.

“Claro que, se a pessoa doente quiser, poderá fazer na rede particular. Mas, quando o vírus está disseminado, consideramos que é mais um entre as centenas que já temos circulando, e só os doentes graves precisariam ser testados para determinar o melhor tratamento”, explica Nancy.

Com informação de https://saude.abril.com.br/medicina/casos-de-coronavirus-sem-sintomas/

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixar um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *