MG se prepara para volta às aulas presenciais mesmo com impasse na Justiça

Redação1 de junho de 20216min0
20210601121732771650a
Um memorando foi enviado aos gestores nas Superintendências de Ensino com uma lista de tarefas a serem cumpridas até 11 de junho

O retorno às aulas presenciais em Minas ainda dependerá de decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que analisa a ação do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE). No entanto, apesar do tema estar suspenso na espera de decisão da Justiça, a Secretaria de Estado da Educação iniciou os preparativos para a retomada das escolas estaduais.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) deverá encerrar na próxima semana, no dia 10, o julgamento do mérito do mandado de segurança que suspendeu o retorno às aulas presenciais.

Na primeira reunião do tribunal, os desembargadores, por maioria dos votos, confirmaram a suspensação da convocação presencial dos trabalhadores em educação, com exceção dos diretores de escola.

O TJMG também proibiu o retorno presencial das atividades escolares até que sejam implementados todos os protocolos sanitários. A decisão ratifica decisão do tribunal de abril de 2020. De acordo com o Sind-UTE, falta apenas o voto de um desembargadores, mas não há possibilidade numérica de alteração do resultado.

Mesmo com o mérito do mandado em julgamento no TJMG, na segunda-feira (31/5), foi enviado memorando aos superintendentes regionais de ensino com orientações para implementação de protocolos sanitários nas escolas da rede estadual. O documento é assinado pelo subsecretário de Articulação Educacional, Igor de Alvarenga Oliveira Icassatti Rojas.

Foi repassada uma lista de tarefas para a organização do ambiente escolar. As escolas que estejam em regiões na onda vermelha: entrega e validação da checklist até 11 de junho. As que estão em regiões na onda amarela e verde: entrega imediata e validação imediata da checklist.

O memorando ainda orienta as escolas quanto à realização de um levantamento dos estudantes para o retorno presencial e à entrega de livros didáticos. O gestor deve entrar em contato com os responsáveis pelos estudantes para verificação da intenção de retorno. O documento também orienta o gestor a realizar a entrega do livro didático.

A SES informou que a distribuição do material teve início no mês de março e está na fase final. De acordo com a pasta, o ritmo foi alterado com a implantação da onda roxa, faixa mais restritiva do Programa Minas Consciente.

Com o avanço das regiões do estado para outras ondas com menos restrições e a possibilidade de reabertura das escolas para esse tipo de atendimento à comunidade,  a entrega foi retomada pelos gestores escolares. Ficou a cargo de cada uma das escolas definir como seria a distribuição.

A SES destacou que cada unidade de ensino organizou a melhor forma de fazer com que o material chegue até os estudantes, sempre respeitando os protocolos sanitários de prevenção à COVID-19. Vale lembrar que, no REANP, os livros didáticos são complementares às atividades apresentadas nos Planos de Estudos Tutorados (PETs) e às teleaulas apresentadas no programa Se Liga na Educação.

A reportagem entrou em contato com o TJMG, mas até o momento não obteve retorno.

NÃO HÁ DATA PREVISTA PARA O RETORNO NA REDE ESTADUAL

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Educação informou que não há data prevista para o retorno às aulas presenciais, uma vez que a definição depende da decisão do TJMG. No entanto, informou que o memorando tem o objetivo de preparar as escolas para quando o formato que prevê o retorno dos alunos às escolas for autorizado pela Justiça.

Em nota, a pasta reforçou que a rede estadual segue desenvolvendo as atividades escolares de forma remota, por meio do Regime Especial de Atividades não Presenciais (REANP).

A pasta afirma que o modelo de ensino híbrido nas escolas estaduais só será implementado quando houver a autorização judicial para retorno e apenas nos municípios localizados nas ondas amarela e verde do Pograma Minas Consciente e também em cidades onde não houver restrições da prefeitura. “Todas as escolas estaduais estão se preparando observando o checklist de aplicação dos protocolos sanitários para o desenvolvimento do ensino híbrido, com retorno seguro, gradual e facultativo das atividades escolares presenciais”, reforçou a SES.

O memorando orienta os gestores escolares quanto à aplicação do checklist nas unidades que ofertam os anos iniciais do ensino fundamental (1º a 5º ano), já que a implementação do ensino híbrido se dará inicialmente por essa etapa.

Fonte: Estado de Minas

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *