• muzambinho.com.br
  • muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Cientistas usam leite materno para curar da Covid-19 paciente com doença rara

Redação10 de junho de 20222min0
ezgif-3-a56587a076
A mulher, que há 120 dias estava infectada com o vírus, foi orientada a cada três horas ingerir 30 mililitros de leite, de uma doadora vacinada

Uma paciente, com uma doença genética rara que torna seu sistema imune incapaz de combater vírus, passou a testar negativo para a Covid-19 após um tratamento com leite materno. Pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) recorreram a esse método que mostrou ser eficaz para a paciente.

O caso foi publicado em uma revista científica. Segundo o estudo, a mulher que há 120 dias estava infectada com o vírus, foi orientada a ingerir 30 mililitros de leite materno, de uma doadora vacinada, a cada três horas. A orientação veio depois que a equipe médica já havia tentado outros métodos para curar a paciente, mas sem sucesso.

A pediatra Maria Marluce dos Santos Vilela, professora da Faculdade de Ciências Médicas (FCM-Unicamp) e autora principal do artigo, conta que na época do tratamento, saíram os resultados de um estudo mostrando que mulheres lactantes imunizadas com a vacina da Pfizer produziam leite com uma quantidade razoável de IgA (o principal anticorpo neutralizante de vírus). “Decidimos então fazer a experiência assistencial de reposição de IgA via leite materno,” afirmou.

O teste negativou após uma semana e outros dois exames, feitos com intervalos de dez dias cada, também não detectaram a presença mais do vírus.

A pesquisadora conta que só foi possível fazer a experiência porque há no país uma legislação rígida que garante a segurança dos bancos de leite. Somente podem doar mulheres saudáveis, com testes negativos para doenças infecciosas como Aids, sífilis e hepatite, entre outras. E o sistema também permite saber se a doadora foi imunizada. (Agência FAPESP)

Fonte: O Tempo

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *