• Muzambinho.com
  • muzambinho.com.br
  • loja.muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Veja quando começa o verão e a previsão do tempo para a estação

Redação1 de dezembro de 20237min0
verao-7c369ad4a4
As previsão do Climatempo é de temperaturas mais altas e chuvas irregulares; confira

O verão deste ano começa em 22 de dezembro (sexta-feira) de 2023 e vai até 20 de março de 2024 (quarta-feira). O início do verão marca o dia mais longo do ano no Hemisfério Sul, quando o Sol atinge sua maior declinação em relação à linha do Equador. Depois do solstício de verão, os dias começam a ficar gradualmente mais curtos.

Recordes

O ano de 2023 ficará marcado como o ano mais quente da história devido aos efeitos das mudanças climáticas, segundo especialistas. A tendência é de que o fenômeno do El Niño e do aquecimento global continuem fazendo efeito no verão com novos eventos meteorológicos incomuns no Brasil.

As mudanças climáticas causaram, neste ano, tornado no Sul, seca histórica no Amazonas, incêndios no Pantanal e temperaturas muito acima da média no Sudeste. Eventos extremos também são esperados na próxima estação.

Previsões para o verão 2023/2024

O meteorologista Vinícius Lucyrio, do Climatempo, sugere as seguintes tendências na previsão do tempo para o verão 2023/2024 no Brasil:

Temperaturas mais altas:

Devido à influência do fenômeno El Niño, o verão será mais quente do que o normal em todo o Brasil. O aquecimento global também é mencionado como um fator adicional.

Chuvas irregulares:

O padrão de chuva será caracterizado por chuvas fortes e irregulares, em vez de chuvas que se estabelecem e persistem por períodos prolongados – como é comum no verão. Esse fenômeno vai impactar diferentes regiões de maneira variável.

  • Menos chuvas no Sudeste e Centro-Oeste: A presença do El Niño dificultará a formação e a permanência da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), responsável por períodos de chuva generalizada sobre o Sudeste e o Centro-Oeste.
  • Menos chuva no Norte e no Nordeste: O Norte do Brasil continuará com chuvas abaixo da média na maior parte da região. No Nordeste, especialmente na porção norte, pode haver chuva abaixo da média e temperaturas acima do normal, contribuindo para agravamento da seca.
  • Chuva irregular no Centro-Oeste: No Centro-Oeste, a expectativa é de chuva muito irregular, abaixo da média em algumas áreas, especialmente em Mato Grosso.
  • Alívio das chuvas no Sul: A Região Sul terá um alívio nas chuvas intensas em janeiro e fevereiro, mas, em março, há a possibilidade de chuvas volumosas e persistentes novamente.
Eventos extremos:

Há risco de eventos climáticos extremos, mas a diferença entre o que está sendo observado atualmente e o pico de intensidade do El Niño não deve causar um aumento significativo na intensidade desses eventos.

Duração do El Niño:

O El Niño deve atingir o pico de intensidade entre dezembro e janeiro, perdendo gradualmente força até fevereiro. A previsão é de que o Pacífico Equatorial volte para uma fase neutra entre abril e maio, mas os efeitos atmosféricos podem persistir até o início do inverno de 2024.

O que é o El Ninõ?

O El Niño é um fenômeno climático caracterizado pelo aquecimento anômalo das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial e tem impactos significativos nos padrões climáticos globais, como chuvas intensas, secas, inundações, ondas de calor, furacões e aquecimento das águas do oceano.

A palavra “El Niño” significa “O Menino” em espanhol – em uma referência ao “Menino Jesus”, porque muitas vezes o fenômeno era observado próximo à época do Natal, justamente quando acontece o verão no Brasil e no Hemisfério Sul.

Os pescadores peruanos foram os primeiros a notar mudanças nas condições climáticas na região durante esse evento, especialmente pela diminuição da pesca de anchovas.

A causa primária do El Niño está relacionada a mudanças na distribuição de temperatura da superfície do oceano no Pacífico Equatorial e ocorre periodicamente, geralmente a cada 2 a 7 anos.

El Ninõ x Aquecimento global

É importante ressaltar que o El Ninõ e o aquecimento global são fenômenos climáticos distintos, embora ambos estejam relacionados às mudanças climáticas. A diferença é que o primeiro tem causas naturais e o outro não.

O aquecimento global é atribuído principalmente às atividades humanas, como a queima de combustíveis fósseis, o desmatamento e as emissões de gases de efeito estufa.

No entanto, há evidências científicas que sugerem que o aquecimento global pode influenciar o comportamento do El Niño. Isso significa que o fenômeno natural pode ser mais intenso em termos de aquecimento das águas do oceano e de suas consequências climáticas, bem como sua duração.

Fonte: Itatiaia

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Aki Tem Muzambinho

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *