• loja.muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • muzambinho.com.br

Farmácias vendem remédios com desconto de até 90%, antes do reajuste anual

Redação28 de março de 20244min0
remedio-sem-nome-23
Medicamentos vão ficar mais caros a partir de segunda-feira, 1º de abril; aumento deve ser de 4,5%

Os preços dos medicamentos vão subir a partir de segunda-feira, 1º de abril, em todo o país. O reajuste deve ser de 4,5%, no entanto, esse índice ainda não foi confirmado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), órgão ligado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nesta semana antes do reajuste, diversas redes de drogarias estão fazendo campanha em seus sites com promoções e avisando os clientes para que façam as compras antes do reajuste e evitem comprar remédios com os preços mais altos.

“Antecipe a compra de seus medicamentos antes do aumento de preços! Com o reajuste anual do Ministério da Saúde, o preço vai subir”, diz a Droga Raia em sua página na internet, prometendo ainda até 90% de desconto em alguns produtos.

A Drogaria Araujo também está com um comunicado no site oficial. “O governo anunciou um aumento nos preços dos medicamentos a partir de 01/04/2024. Compre agora e economize”. A empresa disponibiliza descontos de até 35% para quem comprar alguns tipos de remédios nesta semana.

As pessoas que fazem uso contínuo de medicamentos serão as mais afetadas com esse reajuste anual. “O aumento dos preços dos remédios pode impactar no orçamento familiar, principalmente em famílias com aposentados, pensionistas e pessoas que façam uso de remédios de uso contínuo”, afirma Carla Beni, economista e professora de MBAs da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Mas existem algumas formas de evitar que o impacto do reajuste seja tão alto no orçamento, segundo a especialista. “É importante procurar algumas alternativas, como as farmácias populares, que possuem preços diferenciados, além de fazer pesquisas de preços na internet, onde costuma haver descontos e condições melhores”.

Outra dica da professora é tentar pegar alguns remédios de graça na rede pública. “A pessoa pode buscar nos postos de saúde o fornecimento de medicações que normalmente as prefeituras e os postos fornecem. É grande a lista de medicações de uso contínuo. Então isso é importante para amenizar o impacto do preço dos medicamentos no orçamento das famílias”, conclui.

Entenda o reajuste nos preços dos remédios

O aumento nos preços dos medicamentos é anual e leva em consideração um cálculo que considera a inflação no período medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que ficou em 4,5% em fevereiro no acumulado dos últimos 12 meses.

O reajuste entra em vigor em 1º de abril, após a publicação da resolução da Cmed no Diário Oficial da União. Porém, o reajuste não é imediato, já que depende de cada farmácia e indústria farmacêutica.

Fonte: O Tempo

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Aki Tem Muzambinho

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *