• Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Novo exame de sangue pode diagnosticar doença de Alzheimer 20 anos antes

Redação30 de julho de 20202min0
sangueexame413
Cientistas internacionais conseguiram desenvolver um exame de sangue que pode diagnosticar Alzheimer até 20 anos antes.

A descoberta foi anunciada durante a Conferência Internacional da Associação de Alzheimer 2020 e publicada na revista “JAMA” simultaneamente.

O exame foi desenvolvido na Universidade de Lund, na Suécia, com testes também nos Estados Unidos e na Colômbia e identificou corretamente a doença em até 98% dos casos.

O estudo foi feito com 1.402 pacientes divididos em três grupos e concluiu que é possível usar este teste de sangue para analisar o biomarcador – a proteína fosfo-tau2017, considerada a maior culpada pelo Alzheimer – como forma eficiente de detectar a doença.

É que os níveis dessa proteína são elevados durante os estágios iniciais da doença.

A proteína tau2017 se acumula no fluido espinhal de pacientes com Alzheimer antes de desenvolverem sintomas. E esse acúmulo dela prevê com precisão a formação das placas prejudiciais que desencadeiam a morte das células cerebrais.

O novo teste pode substituir exames e testes caros no líquido espinhal, que hoje são as únicas maneiras de detectar a proteína antes que os problemas de memória comecem.

Fiona Carragher, da Sociedade de Alzheimer, disse que “um teste de diagnóstico econômico, preciso e não invasivo” seria um passo vital.

Tratamento

A descoberta é importante porque 35 milhões de pessoas sofrem com Alzheimer no mundo e o diagnóstico preventivo, antes do aparecimento dos primeiros sintomas, interfere no resultado do tratamento para aliviar os sintomas e retardar o avanço da doença, que ainda não tem cura.

Oskar Hansson, coordenador da pesquisa, explica que muitas pessoas com Alzheimer não são diagnosticadas corretamente e, por isso, não recebem o tratamento adequado.

O estudo ainda não foi concluído, mas os pesquisadores acreditam que os testes para detectar a doença possam estar disponíveis em até três anos.

Fonte: Só Notícia Boa

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixar um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *