Quase 40% das cidades de Minas aderiram ao consórcio para a compra de vacinas

Redação5 de março de 20214min0
Teste da vacina contra a doença de coronavírus (COVID-19) na Tailândia
Ao todo, 1.703 municípios do país demonstraram interesse em fazer parte da iniciativa, liderada pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP)

Prefeituras de 337 municípios mineiros manifestaram interesse em fazer parte do consórcio para a compra de vacinas contra a Covid-19. O número de prefeituras interessadas representa quase 40% das 853 das cidades mineiras. Ao todo, 1.703 municípios do país demonstraram interesse em fazer parte da iniciativa, liderada pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP).

A previsão é que o consórcio seja efetivamente instalado até o dia 22 de março. Nesta sexta-feira (5), as cidades devem receber um modelo de projeto de lei para ser enviado às câmaras municipais para que as prefeituras participem das compras. A ideia é que os municípios possam comprar as vacinas por conta própria caso o governo federal não cumpra o Plano Nacional de Imunização (PNI) ou caso as doses previstas sejam insuficientes.

Em coletiva de imprensa hoje, o Secretário Adjunto de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral, afirmou que o Estado não pretende comprar vacinas por conta própria. “Estamos seguindo o critério epidemiológico, o planejamento está sendo feito da melhor forma possível. Se o Estado comprasse, nós não teríamos prioridade na fila, nós certamente executaríamos depois do governo federal. Imagina gastar dinheiro público e comprar para o Ministerio da Saúde entregar antes? Seria uma compra irresponsável, inoportuna“, questiona.

De acordo com a FNP, o consórcio trabalhará “com todas vacinas disponíveis” que não estiverem no escopo do Ministério da Saúde, mas que possuam aprovação para utilização na Anvisa ou em organismos internacionais. Nos próximos dias, a entidade irá visitar a fábrica da União Química, em Guarulhos, em São Paulo. A empresa é a responsável pela produção da vacina russa Sputnik-V.

“Vamos adquirir um maior número possível de vacinas. Se nós conseguirmos recursos do Governo Federal, colocaremos todas as vacinas no plano nacional. É isso que foi dito, e vamos colocar isso agora à prova. Se não conseguirmos, vamos distribuir de acordo com a cota de cada município. O que não pode é os prefeitos ficarem de braços cruzados. Superamos o debate se a vacina faz mal ou não. A população quer se vacinar”, informou, na última segunda-feira (1), o presidente da entidade, Jonas Donizette.

Além da possibilidade de financiamento federal e da cotização entre municípios, a FNP trabalha com a possibilidade de empréstimos com organizações internacionais ou até mesmo com a colaboração da iniciativa privada brasileira.

A FNP reúne 412 cidades com mais de 80 mil habitantes, o que representa todas as capitais e 61% da população. Entretanto, a manifestação de interesse ao consórcio foi aberta aos 5.645 municípios brasileiros. Não haverá custos de adesão, sendo que os gastos para legitimar a formação da associação serão custeados pela frente de prefeitos.

Fonte: O Tempo

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *