Covid-19: média móvel de mortes fica abaixo de mil pelo terceiro dia

Redação3 de agosto de 20212min0
De acordo com dados da Monitoria Covid-19, que é mantido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Brasil registrou nesta segunda-feira (2) o terceiro dia seguido com a média móvel de mortes abaixo de mil.

O país registrou durante seis meses consecutivos mais de mil mortes diárias em decorrência da Covid-19. De janeiro de 2021 até o final de julho, o Brasil viveu o período mais letal da pandemia, com picos de média móvel ultrapassando 3 mil óbitos.

A média móvel de mortes atingiu uma porcentagem menor que mil pela primeira vez no dia 31 de julho, quando chegou em 988,86. O patamar se manteve no dia 1 de agosto com 987,14 e na última segunda-feira atingiu 960,14.

A média móvel de mortes é calculada somando as mortes das últimas 24 horas com as que foram registradas nos seis dias anteriores, o resultado é divido por sete. O dado é muito utilizado por pesquisadores como um termômetro da evolução da pandemia.

“A diferença entre a curva de novos casos e a curva de óbitos é mais um indício da nova fase da pandemia no Brasil, em que há intensa circulação do vírus, mas com menor impacto sobre as demandas de internação e sobre o número de mortes”, afirmam os pesquisadores.

Segundo a Agência Brasil, os cientistas da Fiocruz apontam que a redução no número de mortes é decorrência da alta na taxa de vacinação do país.

Apesar dos números de mortes da Covid-19 terem apresentado baixa, vale alertar que 2021 segue sendo mais letal que o ano anterior. Enquanto foram registrados seis meses consecutivos com mais de mil mortes diárias neste ano, em 2020 este número só foi ultrapassado em 55 dias espalhados entre os meses de junho e agosto.

Fonte: Olhar Digital

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *