• Muzambinho.com
  • loja.muzambinho.com
  • muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com

Minas precisa de R$ 16,63 bilhões para rodovias; no Brasil, são R$ 94,12 bi

Redação29 de novembro de 20234min0
estrad-rodovia-ma-qualidade-c3494b6ebf
O Aparte teve acesso a essas estimativas da Confederação Nacional do Transporte, que divulga nesta quarta (29), às 10h30, a 26ª Pesquisa CNT de Rodovias

Minas Gerais tem a maior malha rodoviária do país. O Estado que liga diferentes regiões tem rodovias extremamente estratégicas, tanto para o transporte de cargas quanto para o de passageiros. Mas muitas delas precisam de forte ação política para que sejam viabilizados os recursos essenciais para resolver problemas que comprometem a segurança dos usuários. Para recuperar os trechos que deveriam ser reconstruídos ou restaurados, são necessários pelo menos R$ 16,63 bilhões, somente com ações emergenciais e de manutenção. No Brasil, o investimento indicado chega a R$ 94,12 bilhões.

Essas estimativas, às quais o Aparte teve acesso, fazem parte da 26ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias, que será divulgada nesta quarta-feira (29), pela manhã, em Brasília, pela Confederação Nacional do Transporte e pelo Sest Senat – Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte. O estudo inclui toda a malha rodoviária federal pavimentada do país e os principais trechos estaduais, também pavimentados.

Outro resultado que a CNT vai apresentar é o aumento do custo operacional do setor transportador. Somente pelas condições ruins do pavimento em diversas rodovias de Minas, há uma elevação de 42,2% no custo do transporte no Estado. De acordo com a CNT, isso reflete na competitividade do Brasil e no preço dos produtos. Na prática, transporte mais caro significa alimento mais caro na mesa do consumidor. No Brasil, esse aumento de custo devido à situação do pavimento das rodovias é um pouco menor, mas também é alto (32,7%).

Minas Gerais registrou nesta semana um gravíssimo acidente, na região metropolitana de Belo Horizonte, na BR-381. Seis pessoas morreram em um engavetamento com 12 veículos, na serra de Igarapé. Outro problema recente envolvendo a BR-381, mas em outra região, entre a capital e Governador Valadares, foi noticiado nos últimos dias. O leilão da concessão do trecho, onde a BR é conhecida como “Rodovia da Morte”, não teve interessados, mais uma vez. Enfim, muitos problemas, que, somente com vontade política, podem ser criadas as condições para que haja solução.

Os resultados da pesquisa da CNT serão conhecidos a partir das 10h30, na sede da Confederação em Brasília, com transmissão pelo canal da CNT no Youtube. Além de membros da diretoria e da presidência da entidade, o ministro dos Transportes, Renan Filho, deve estar presente na divulgação. A CNT avalia o estado geral das rodovias e as condições do pavimento, da sinalização, os pontos críticos (erosões, quedas de barreira, buracos grandes), entre outras questões. Compara ainda a malha concedida à iniciativa privada e a pública.

Fonte: O Tempo

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *