• Muzambinho.com
  • muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com
  • loja.muzambinho.com

Governo prorroga Desenrola, para renegociar dívidas, até 31 de março de 2024

Redação12 de dezembro de 20232min0
contabilidade-divida-dinheiro-calculo
MP também revoga um trecho da Lei do Desenrola, eliminando a exigência de níveis de certificação digital ouro ou prata para acesso de devedores à plataforma digital

O governo federal publicou no Diário Oficial da União desta terça-feira (12) uma medida provisória que prorroga  até 31 de março de 2024 o Desenrola Brasil, programa para a renegociação de dívidas, até 31 de março de 2024.

O Ministério da Fazenda já havia anunciado, na semana passada, a prorrogação, que foi formalizada com a publicação assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes, o prazo para a renegociação de dívidas terminaria no fim deste ano.

No entanto, a duração do programa até 31 de março de 2024 é só para a faixa 1, que conta com aval do Fundo de Garantia das Operações (FGO) do governo federal e vale para dívidas de até R$ 5 mil de pessoas que recebem até dois salários mínimos ou que estejam inscritas no Cadastro Único dos Programas Sociais Federais.

A MP também revoga um trecho da Lei do Desenrola, eliminando a exigência de níveis de certificação digital ouro ou prata no portal gov.br para acesso de devedores à plataforma digital do programa. Como fica:

  • contas de nível ouro ou prata podem fazer a renegociação para pagamento à vista ou parcelado;
  • contas de nível bronze podem acessar a plataforma de renegociação apenas para o pagamento da dívida à vista.

Anteriormente, somente contas com certificação digital ouro ou prata estavam aptas a participarem do programa.

A mudança também foi anunciada semana passada pelo secretário de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, Marcos Barbosa Pinto.

Na ocasião, o secretário fez um balanço do Desenrola, cuja formatação original terminaria no fim deste ano. Segundo os dados apresentados, o programa atendeu até então 10,7 milhões de brasileiros que renegociaram R$ 29 bilhões em dívidas.

Fonte: O Tempo

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Aki Tem Muzambinho

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *