• muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com
  • muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com

Café rende matéria-prima para fabricação de cosméticos masculinos

Redação6 de agosto de 20183min0
cafe_verde
Empresa utiliza óleo extraído do café arábica em parceria com cooperativa de Minas Gerais

O café é um grão rico em aminoácidos, minerais, lipídios, açúcares e vitaminas. Os benefícios de seu consumo moderado apontados por estudos são inúmeros. Entre eles, estão alguns bem conhecidos pelos apreciadores do café, como a sensação de bem-estar, a melhora do desempenho cognitivo, da concentração e do aprendizado.

Mas o café vai além disso tudo. Os estudos indicam que ele pode prevenir doenças cardiovasculares e degenerativas em geral, como, por exemplo, demência e mal de Alzheimer, e também a depressão.

Além da bebida, o grão também tem suas vantagens em, digamos, outros formatos. Ele tem sido usado como matéria-prima para a produção de cosméticos. Isso porque ele pode agir como um grande aliado na hidratação da pele, com propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e lipolíticas (ajudando na digestão de gorduras).

Uma das marcas de cosméticos que apostou nisso foi a Mensch. A empresa, que tem linhas para pele, barba e cabelo, utiliza o óleo do café arábica extraído do grão ainda verde, antes de passar pelo processo de torrefação que o deixa apropriado para beber. “É a primeira vez que a marca usa o óleo em um produto”, explica Michael Neves, diretor da Mensch. “No estágio de maturação verde, o fruto apresenta altos teores de princípios ativos benéficos à pele”.

Neves conta que a matéria prima de café usada pela empresa vem da Cooxupé, cooperativa agrícola de Guaxupé (MG). “Eles tem como foco principal a integração ambiente e cultivo, então todo o processo é sustentável”, explica. “Da prensagem do grão, por exemplo, sobra o que chamamos de ‘torta de café verde’, que é em seguida purificada e moída. O resultado são micro grânulos com leve ação esfoliante que utilizamos em nosso esfoliante facial”.

Os produtos com esse diferencial começaram a ser comercializados em junho deste ano. “Por ser uma linha nova e devido ao pouco tempo que os produtos estão disponíveis no mercado, as vendas estão acontecendo de forma gradativa, mas bem positiva dentro do nosso planejamento”, diz Neves.

Fonte: Globo Rural

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *