Zema recua após dizer que vai vacinar mineiros entre 12 e 17 anos sem aval

Redação16 de julho de 20216min0
20210715210358299472o
Governador mineiro falou mais cedo que planejava vacinar adolescentes "mesmo que o Ministério da Saúde não concorde"

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), recuou pouco após anunciar que planejava vacinar adolescentes entre 12 e 17 anos em Minas – mesmo sem aval do governo federal. O gestor, que visita a Zona da Mata mineira nesta quinta-feira (15/7), reforçou que negocia compra da vacina russa Sputnik V, mas disse que vai respeitar o PNI (Programa Nacional de Imunizações).

“Estamos negociando o prazo de entrega e hoje nós temos que acompanhar o Plano Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde”, afirmou Zema logo após participar da inauguração de uma nova sede da Unidade Regional de Juiz de Fora da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).

Recuo

Mais cedo, também em Juiz de Fora, Zema afirmou que o governo estadual encomendava as vacinas para imunizar adolescentes “mesmo que o Ministério da Saúde não concorde”. “Já pleiteamos ao Ministério da Saúde que esse público seja incluído tão logo o público acima de 18 anos tenha o processo de imunização feito”, disse à “Rede Tribuna de Comunicação”.

Sputnik V

De acordo com o secretário de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, a negociação é de 428 mil doses da Sputnik V. “Estamos em tratativas finais com o governo russo para entrega no mês de julho”, disse o titular da Pasta.
“Sobre a vacinação abaixo de 18 anos, tivemos reunião com Marcelo Queiroga, e o ministério da Saúde se comprometeu a divulgar, nas próximas semanas, calendário para vacinação de adolescentes com comorbidades e depois os demais adolescentes, ampliando o PNI”, afirmou.

Hospital Regional

Ainda na cidade da Zona da Mata, Zema anunciou que o Governo de Minas entrou em acordo com a prefeitura do município para que as obras do Hospital Regional sejam retomadas. Para isso, será efetuada a dação do terreno, assim como as benfeitorias já realizadas no espaço, da prefeitura ao Estado, em contrapartida de uma dívida do município com o governo mineiro.

Os recursos para a conclusão do equipamento de saúde serão provenientes do Termo de Medidas de Reparação assinado entre Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Ministério Público Federal (MPF), Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), Estado e a Vale.

“Nós conseguimos equacionar um impedimento para dar continuidade às obras do Hospital Regional. A prefeitura está com o procedimento em andamento, que é cessão do imóvel para o governo. O imóvel precisa estar em nome do Estado para que possamos aplicar as verbas. A região de Juiz de Fora assistirá, em breve, ao reinício das obras do Hospital Regional”, afirmou o governador durante coletiva à imprensa.

Segundo o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, o acordo ainda terá que ser aprovado pela Câmara Municipal de Juiz de Fora e, posteriormente, pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Ele ressaltou a importância do equipamento para a assistência à saúde na região.

“Haverá a doação do terreno do Hospital Regional ao Governo do Estado e, dessa forma, com o termo de reparação da Vale, poderemos logo reiniciar as obras. Quando a dação estiver concretizada, haverá processo licitatório da obra e da gestão do hospital, que vai fazer uma grande diferença no atendimento a toda a população da região”, afirmou Baccheretti.

As obras do Hospital Regional foram iniciadas em 2010 e paralisadas em 2017. A unidade tem previsão de 226 leitos. O equipamento integra os estudos de diagnósticos que foram anunciados para todos os hospitais regionais que tiveram as obras paralisadas no estado. Na época de sua paralisação, o percentual estava em aproximadamente 56%, mas serão realizados os estudos para avaliar o empreendimento e a definição do percentual atual, uma vez que sofreu com depredação ao longo do tempo de interrupção das intervenções.

A prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão, falou sobre a importância do hospital para o município e para toda a Zona da Mata.

“Nós queremos resolver este problema para que o Estado possa, assim que possível, retomar as obras e concluí-la. Será um hospital regional do Estado de Minas Gerais, que servirá muito bem a Juiz de Fora e à região”, afirmou a prefeita.

Fonte: Estado de Minas

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *