• loja.muzambinho.com
  • muzambinho.com.br
  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com

A cada 14 horas, uma pessoa morre por dengue em Minas Gerais

Redação4 de abril de 20243min0
dengue-231815
Com uma média de 3,6 casos por dia em 2024, Estado já supera número de diagnósticos de todo 2023

Minas Gerais vive um cenário preocupante com a dengue em 2024. Segundo o painel de monitoramento das doenças arboviroses, atualizado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), o Estado registra uma morte pela doença a cada 14 horas. Além disso, superou o número de casos de todo o ano de 2023, com uma média de 3,6 mil diagnósticos diários.

Até esta quarta-feira (3 de março), foram confirmadas 158 mortes por dengue. Há, ainda, outros 587 óbitos em investigação. O balanço coloca 2024 como o quarto ano com mais óbitos pela doença desde 2009, atrás apenas de 2019 (195 mortes), 2023 (234) e 2016 (281).

O painel revela ainda que a letalidade da dengue em Minas Gerais em 2024 é de 2,67%. A faixa etária mais afetada com óbitos pela doença é a de pessoas com idades entre 70 e 79 anos.

Com relação ao número de casos, Minas Gerais confirma 341.606 diagnósticos de dengue em 2024. O número já ultrapassa os diagnósticos de todo o ano passado, quando foram 333.329.

Vacinação

Em 52 cidades mineiras, incluindo Belo Horizonte, teve início, pela rede pública, a vacinação contra dengue com o imunizante Qdenga. A campanha pelo Sistema Único de Saúde (SUS), organizada pelo Ministério da Saúde, é destinada a crianças e adolescentes de 10 a 14 anos. A ampliação do público vacinável esbarra na limitação no número de doses disponibilizadas pela farmacêutica japonesa Takeda.

Medidas de prevenção:

  • Elimine a água parada de qualquer recipiente, como vasos de plantas, pneus, calhas e lajes.
  • Mantenha caixas d’água e tonéis bem tampados.
  • Use repelentes e roupas que protejam o corpo do mosquito.
  • Coloque telas de proteção nas janelas e portas.
  • Mantenha ralos limpos e fechados.
  • Denuncie criadouros do mosquito para as autoridades sanitárias.

Fonte: O Tempo

  • Muzambinho.com
  • Muzambinho.com
  • Aki Tem Muzambinho

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *